• Amanda Ribeiro

Troca do berço por uma caminha: Qual a melhor hora para esta mudança?


Eu demorei para tirar Arthur do berço, foi mais difícil pra mim, do que pra ele, eu tinha apego no berço, porque deixava ele ainda bebezinho e caminha é coisa para menino grande né? Tive que trocar para a cama, porque o Arthur já estava pulando do berço, e um dia caiu de cabeça. No mesmo dia liguei para a empresa Mundo das Casinhas, e já pedi uma caminha montessoriana, em 7 dias o pessoal já foi montar. Os preços das caminhas são super acessíveis, tem vários modelos e várias cores. Nós amamos! A decoração da caminha e do quartinho, ficou por conta da Loja Berta Gonçalves, escolhi manter o azul e o cinza que já tinha no berço e inclui o amarelo. Ficou tudo muito lindo, a qualidade material e acabamento da Berta Gonçalves é perfeito. Elas fizeram as almodadas, rolo, bandeirola, prateleira de livros e quadrinho. Lá você encontra tudo para montar um quartinho lindo. Eu fiquei apaixonada pelo quartinho. O Arthur está amando o seu quartinho, o único coisa difícil é manter ele deitadinho quando ele não está com sono ele levanta 100 vezes para acender a luz, a e de manhã as vezes ele corre para a minha cama. Mas fora isso deu tudo certo.

Juntei 6 dicas para fazer a mudança do berço para a cama respeitando o tempo do bebê.

1- PREPARE O SEU FILHO O primeiro passo é ter uma boa conversa para explicar que ocorrerá uma mudança, mas que será para melhor. “É importante um período de preparação, que permite que a criança se despeça de seu berço e fique na expectativa de um espaço novo. Diga ao seu filho que ele não é mais um bebê, que já sabe, por exemplo, falar e comer com a colher. Valorizar seu crescimento e os ganhos de uma nova etapa vai incentivá-lo a seguir com seu desenvolvimento. A convicção dos pais de que é bom crescer é o que ajuda a criança a se interessar pela mudança. “Se os próprios pais não conseguem lidar com o fato de que o filho deixou de ser um bebê, ele sentirá essa ambivalência e responderá recusando-se ao desenvolvimento”.

2- DEIXE QUE ELE PARTICIPE

Depois de informar sobre a transição, é importante envolver seu filho na mudança. “Incluir na preparação, combinar o que vai acontecer, marcar um dia, pedir ajuda na escolha da cama, da colcha e dos acessórios são atitudes positivas que favorecem a adaptação”.

3 - FAÇA DA MUDANÇA UMA FESTA

A atitude positiva dos pais é fundamental para que a transição do berço para a cama seja natural e tranquila. E, quanto mais feliz for o momento, melhor será a aceitação da nova realidade. Lembre-se, no entanto, de que nem sempre a surpresa é uma boa ideia. Algumas crianças podem ficar inseguras por falta de tempo de elaboração.

4- TOME PRECAUÇÕES DE SEGURANÇA

Com a mudança para a cama, as crianças terão mais autonomia e liberdade e, portanto, poderão acessar locais que ficavam indisponíveis quando dormiam no berço. Todo cuidado é pouco na adaptação do quarto e da casa como um todo. As janelas devem ter proteção, porque elas poderão subir com facilidade nos móveis. Fios e aparelhos elétricos devem estar fora de seus alcances. Gavetas baixas não podem conter itens de risco como facas, medicamentos e objetos de vidro. É importante também evitar camas muito altas, como os beliches. “Beliche é perigoso, tem o risco de escalar, de cair do alto. A bicama é interessante porque a criança pode trazer os amigos para dormir quando estiver maior” Seja qual for o modelo escolhido, é fundamental o uso de grades de proteção.

5 - NÃO VOLTE ATRÁS

Um erro muito comum é mudar a criança para a cama e, ao primeiro sinal de dificuldade na adaptação, desistir. “Não existe voltar atrás nesse tipo de conduta. A criança logo estará acostumada ao seu novo quarto. Podemos fazer companhia até ela dormir nos primeiros dias. Mas, sempre no quarto e na cama dela, sem retirá-la de lá”.

De qualquer forma, é importante saber que a criança pode ter dificuldades. “Diante de eventuais recaídas, os pais devem oferecer atenção e compreensão. Esses momentos são a expressão dos medos e das inseguranças que acompanham as mudanças mesmo na idade adulta. Ajudar o filho a enfrentá-los e a seguir é uma forma gradativa de instrumentá-lo para as muitas transições que o acompanharão sempre”. Por isso, colocar a cama ao lado do berço e esperar a vontade da criança mudar não é uma boa ideia. “Passa a imagem de que a criança não precisa se decidir, que pode ter as duas coisas ao mesmo tempo. Gera mais dúvidas e incertezas”.

6- EVITE LEVAR PARA A SUA CAMA “Os pais devem insistir para que a criança fique no quarto dela. Trazê-la para o dos pais só vai acostumá-la a dormir com eles, e não resolver o problema”. O importante nessa hora é ter muita paciência, ir levando a criança de volta com tranquilidade, esperar que ela durma novamente e se retirar do quarto dela quantas vezes forem necessárias. Em poucos dias, essa frequência de acordar e procurar os pais vai diminuindo e ela passará a dormir confortavelmente em seu próprio quarto”. Toda a paciência será recompensada. Ao final do processo, seu filho terá conquistado mais uma etapa do desenvolvimento. Podem comemorar!

Fonte: Baby Center

Site: www.bertagoncalez.com.br

Instagram: @berta_goncalez

Rua Ministro Jesuino Cardoso, 137, Vila Olímpia - São Paulo/ SP Tel: 11 3045-6555/ 3045-0667

Instagram: www.instagram.com/mundodascasinhas/

Whatsapp: 11 98491-9180

Gostou das dicas? então compartilhe com um amigo, deixe o seu comentário, siga nossas redes sociais!

Instagram: @mamaequeviaja

Facebook: https://www.facebook.com/mamaequeviaja/

Youtube: Canal: Mamãe Que Viaja

Um Abraço,

Amanda Ribeiro

#berço #cama #camainfantil #berta #bertagonçalez #decoração #decoracao #quartoinfantil #quartodemeninodecorado #quartoinfatilamarelo #quartodemeninoazul #quartodecoraçãoviagem #nuvemnaparede #quartodemenino #caminhainfantil #camadospais #camacompartilhada #bertagoncalez #bertadecoracao #mundodascasinhas #mundodascasinhasmontessori

8 visualizações

© 2017 por  Amanda Ribeiro a MAMÃE QUE VIAJA  

  • Instagram Social Icon
  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Pinterest Social Icon